Pernambuco tem terceira morte de paciente com vírus da gripe H1N1 em 2018
Pernambuco tem terceira morte de paciente com vírus da gripe H1N1 em 2018

Pernambuco tem terceira morte de paciente com vírus da gripe H1N1 em 2018

9 de Maio de 2018

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou, na noite de ontem (8), a terceira morte de um paciente com o vírus da gripe H1N1 em Pernambuco em 2018. Um exame constatou a presença da influenza em um homem de 41 anos, que morreu em Palmares, na Zona da Mata Sul do estado, no dia 2 de abril.

Ele morava em Barreiros, também na Zona da Mata Sul de Pernambuco, mas morreu no Hospital Regional de Palmares. Ele foi internado em 13 de março, mesmo dia em que teve notificada a síndrome respiratória aguda grave (Srag).

Essa confirmação do terceiro óbito ocorre menos de uma semana após a pasta ratificar a segunda morte no estado neste ano de uma paciente que tinha o vírus: uma idosa de 74 anos que morreu em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. O primeiro óbito, confirmado no fim de abril, foi de um homem de 45 anos no bairro dos Coelhos, no Recife.

Diferente dos dois primeiros casos, o paciente que morreu em Palmares não apresentava comorbidade, que é a existência conjunta da doença com um quadro clínico que pode agravá-la. Apesar disso, de acordo com a SES, continua a investigação sobre se foi o vírus da gripe H1N1 que provocou a morte do homem de 41 anos.

No período entre janeiro de 2018 e o dia 28 de abril deste ano, a SES contabilizou, além das três mortes, 452 casos de síndrome respiratória aguda grave, com 14 resultados positivos para influenza A (H1N1) e dez para influenza A (H3N2).

O número representa uma diminuição de 30,4% em comparação com o mesmo período de 2017, quando foram registrados 650 adoecimentos, sendo 62 para influenza A (H3N2), oito de influenza B, três de vírus sincicial respiratório (VSR) e um da parainfluenza 1.

Mortes com H1N1 – Na quarta-feira (2), foi confirmada a presença do vírus H1N1 em uma idosa de 74 anos, que morreu em 17 de abril, mesmo dia em que ela teve notificada a Srag. A mulher morava em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, e faleceu no Hospital Jaboatão Prazeres. Segundo a SES, ela tinha diabetes e, por isso, a comorbidade pode ter agravado a síndrome.

No dia 26 de abril, um exame deu positivo para H1N1 em um homem de 45 anos, que estava internado no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no bairro dos Coelhos, na região central do Recife. Ele, que teve a síndrome respiratória aguda grave notificada no dia 16 de abril, faleceu no dia 24 de abril.

Amostras foram coletadas para realizar análises pelo Laboratório Central de Pernambuco (Lacen), que confirmou que o paciente havia contraído a gripe H1N1. Como ele também tinha comorbidade, o caso segue sob investigação pela SES, pela unidade de saúde e pela Secretaria de Saúde do Recife.

[lateral] Mercado Adrian

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *