Cacique Bertinho, em nome da Comunidade Truká emite Nota de Esclarecimento sobre os fatos ocorridos em 24/04/21

50

O Cacique Bertinho, liderança indígena e em nome de toda a Tribo Truká, emitiu nota de esclarecimento sobre os fatos ocorridos na Ilha de Assunção no último sábado (24/04/2021).

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Constituição Federal Brasileira (Art. 231 e 232) reconhece o respeito às formas de organizações próprias dos povos indígenas, além de suas crenças, costumes, usos e tradições bem como os direitos originários dos povos indígenas sobre suas terras.

O Decreto 5051/04 (Convenção 169 da OIT) reafirma o reconhecimento desses direitos constitucionais e ressalta o direito de autonomia dos povos indígenas, no sentido de garantir o respeito às formas diferenciadas de vida e organização de cada povo indígena, seus anseios, planos de vida, de gestão e de desenvolvimento de seus territórios, afastando-se antigos ideários de assimilação e sua superioridade ou dominação frente aos povos indígenas.

Diante das leis acima, começo a esclarecer os fatos que estão gerando muitos comentários nas redes sociais, muitos criticam o manifesto que foi feito no último sábado, dia 24/04/2021, por Indígenas Trukás, que revoltados com as declarações feitas pelo senhor Jabson, pastor da Assembleia de Deus e cansados de tantos descasos dentro do território que há muito tempo vinham vivenciando o desrespeito feito por alguns membros evangélicos, como por exemplo o não cumprimento de acordo feito pelos Caciques e Lideranças Indígenas Trukás, só mais uma informação, para construir ou fazer qualquer obra no território indígena, faz-se necessário à consulta prévia para saber se as lideranças indígenas aceitam ou não determinada ação.

Em nenhum momento as lideranças foram procuradas pelo pastor para dar anuência para referida construção, por diversas vezes os representantes da Assembleia aqui na Ilha de Assunção foram procurados para conversar, mas mesmo diante da decisão da organização interna, os mesmo continuaram a insistir na construção de uma igreja. Nós não fomos às redes sociais difamar a religião de ninguém, pelo contrário, fomos nós que tivemos nosso sagrado desrespeitado pelo pastor. Imaginem se fossemos nós indígenas que tivéssemos difamado a religião do pastor e achando pouco, fossemos construir uma aldeia na sua igreja, digo, dos irmãos. Talvez não desse tantos comentários, sem fundamentos, sabe por quê? Porque vivemos em uma sociedade hipócrita, onde as minorias são tratadas as margens da sociedade.

Há séculos lutamos pelos nossos direitos, não vai ser por algumas críticas que vamos desistir de nossos ideais, todas as nossas conquistas ouvimos criticas, porém isso não nos fragiliza, nossos ancestrais foram duramente perseguidos, escravizados e muitos mortos para conquistar nosso território sagrado. Não iremos permitir que um grupo religioso desrespeite, difame ou interfira no modo de vida da nossa comunidade, lutaremos para que nossos costumes, crenças, tradições e espiritualidade sejam preservados. Iremos enfrentar o que for preciso para dar continuidade a história dos nossos GUERREIROS que tombaram na luta. Que Tupã e nossos Encantados de Luz continuem nos dando força para lutar ate quando for necessário, sempre dentro da nossa organização.

Cacique Bertinho – Liderança Indígena Truká

50 COMENTÁRIOS

  1. Imagine se fosse os evangélicos que tivessem ao menos dado um tapa na placa lá da ilha, ganharia até matéria do fantástico. Destruíram, danificaram, depredaram e vandalizaram a construção, não tiveram respeito algum.

    • Mas, os evangélicos quem iniciaram o desrespeito ! Foi muita falta de sabedoria do pastor criticar a crença indígena daquela forma.. Religião deve ser respeitada, não discutida muito menos invadida !

      • Concordo, faltou sabedoria sim, mas justifica o vandalismo que fizeram? Ou seja, só querem o respeito, mas não sabem respeitar? Vandalismo sim, não se faz protesto quebrando as coisas, muito menos derrubando construções. Só querem diálogo quando é pra ter benefício, quando não tem benefício envolvido a tolerância é zero. Por acaso quem é indígena é obrigado a seguir a religião a vida toda, onde entra a LIBERDADE DE ESCOLHA E LIBERDADE RELIGIOSA?

        • justifica sim, porque em NENHUM momento as lideranças indígenas autorizaram construções de igrejas no território deles! os pastores foram entrando lá e construindo de acordo com as próprias vontades. Imagina alguem chegar na sala da sua casa e montar um assentamento lá? É isso que os evangélicos fizeram! A culpa não é de jesus nem de deus, os evangélicos estão passando dos limites. É a mesma coisa desde 1500 quando os europeus invadiram esse continente. Impor a fé cristã sobre as demais…

          • Estamos assistindo a novas roupagens de uma “evangelização” predatória que escondem antigas práticas de intolerância cultural, apropriação de terras e destruição de modos de vida. Agravadas pala exposição a riscos sanitarios de povos mais vulneraveis. No Brasil e no Nordeste em especial os povos indiginas herdaram uma herança de desigualdades de oportunidades sociais e economicas que fragilizaram a consolidação de seus territórios e seu empoderamento cultural.
            Não se pode levar (impor) o evangelho com a mera alegação de que a cultura do outro lhe impedio de conhece-lo, isso é intolerância, uma forma de imposição de juízos de valor. Não se pode mais aceitar essa postura de ditos cristãos protestantes “evangélicos”.
            Isso me faz pensar o que está verdadeiramente por trás destas investidas, “conversões” nas áreas indigenas? Algumas dúvidas:
            Construção sem consulta, Anuência ao povo indígena a qual o território pertence?
            Construção aparentemente sem licenças da Prefeitura ou da União e da Funai?
            Construção aparentemente sem autorização ambiental?
            A Assembleia de Deus comprou a terra?
            Como a Funai e a Polícia Federal se posicionaram nessa ocupação da terra indígena por não indígenas?
            Vamos refletir!!

        • Serio? esta faltando terreno para Evangélico ter construir igreja em território Indígena? Este Evangélicos já foram para terra indígena com planos feitos, é bem a cara de Igreja Evangélica, adoram uma treta e sempre querer dar uma de donos da razão.

        • Eles foram ate que carinhoso, derrubaram só aquele murinhos. Este Pastor sem vergonha tem é que ser processado junto com a Assembleia de Deus.

        • Você é um hipocrita sem tamanho.
          Vocês evangélicos atacam todas as outras religiões, mesmo outras vertentes do cristianismo.
          Depois ficam aí se fazendo de vítima.

          QUEBROU FOI POUCO

        • Jesus meteu o cajado na banca dos vendedores do templo, a força justificada contra o patrimônio é para mostrar o quanto estas pessoas estão fartas da igreja se metendo nos assuntos temporais e espirituais deles. Manda a igreja de volta pra Cabrobo, terra definido é lugar de índio.

        • Meu querido qual aparte do ELES ESTAVAM CONSTRUINDO A IGREJA NA ALDEIA SEM PERMISSÃO DO CACIQUE você não entendeu? Vandalismo onde se a terra não é dos crentes e eles vão lá e agem como se fosse?? Já começa que a construção era ilegal pois não tinha consentimento nenhum dos indígenas.
          Se eu chegar na sua casa e começar a construir uma casa pra mim você vai deixar ou mandar derrubar???

    • Toda ação tem uma reação cara. São mais de 500 anos do projeto de etnocídio contra os povos indígenas. Não passarão!

    • Vandalizaram não, defenderam seu espaço, costumes e crenças. Basta desses falsos cristãos no Governo, congresso e senado. Só pensam em DINHEIRO.

  2. Índio é raça, igual a negro ou branco, não é religião. Assim como um negro pode escolher sua religião, o mesmo ocorre com um índio, ele tem liberdade de escolher ser católico, evangélico, espírita, etc.

    • Primeiro que não é índio, o correto é Indígena, e segundo que não é raça, pq raça é a raça humana. Os indígenas são um povo, e assim como o povo negro, eles foram e são perseguidos, roubados e aniquilados desde a chegada do primeiro homem branco (cristão) nessas terras. E sim, eles possuem costumes, cultura, religião.. e a perseguição é nítida até hoje principalmente em relação a religião. O cristão domina através da religião. Não é sobre deus e fazer o bem, é sobre terras e dinheiro. É isso q o cristão tem feito no Brasil desde o início dos tempos.

    • @Elioneide,

      Quem constrói no terreno dos outros é respeitoso? Se eu entrar na fazenda da sua família e, iniciar uma construção, voce vai permitir, não fará nada? Pois é este o caso aqui, voce não notou? Pois, repare! Comece por ver a matéria toda, aqui no site, pra saber do que se trata! Todo respeito ao Povo Truká!

    • Verdade, derrubaram tudo, fazendo a maior poluição, que falta de respeito né. Cadê o respeito também à liberdade religiosa dos indígenas que decidem optar por outra religião, ou são eternamente escravos da religião indígena?

      • Escravidão é o espírito propagado por essa religião do deserto de servos do demiurgo. E muitos indígenas são coagidos a seguir essa religião falsa, fora as ameaças e os assassinatos contra as lideranças indígenas, os indígenas deveriam se armar e expulsar proselitistas na base da bala.

  3. Pura arrogância do pastor, se achando detentor sobre a espiritualidade, Cristo já mais pregou sobre isso. Cada um em sua caminhada, pensamentos assim devem ser derrubados na força mesmo.

    • Escravidão é o espírito propagado por essa religião do deserto de servos do demiurgo. E muitos indígenas são coagidos a seguir essa religião falsa, fora as ameaças e os assassinatos contra as lideranças indígenas, os indígenas deveriam se armar e expulsar proselitistas na base da bala.

  4. Boa Noite, os povos originários foram roubados, mortos, escravizados e por um sistema de valores e crenças que nunca respeitaram as espiritualidades dos povos indígenas a catequização foi e ainda é, armas de extermínio de culturas e espiritualidades dos povos indígenas e negras. É chegado o momento de dar um basta no desrespeito que as crenças cristãs impetram contra nossos territórios. Onde as/os colonizadores chegaram com a espada e a cruz para dominar, matar e exterminar as culturas dos povos originários e negros. Parabéns ao Cacique Bertinho e seu povo, que tiveram a coragem de dar um basta nos herdeiros da colonização. Ou reagimos ou seremos exterminadas/os pelo pacto perverso da branquitude que recriou através das igrejas católicas e neo-pentecostais novos sistemas de recolonização e dominação

  5. senhor Bertinho, porque vc não menciona no seu discurso que essa intolerância religiosa não é com a Assembleia de Deus e sim por mais de 20 famílias (+100 pessoas ) de índios Trukás resolveram adorar ao Deus Criador dos Céus e da Terra de acordo sua fé. É isso que incomoda a vcs.

  6. Existe uma grande diferença entre espiritualidade e religiosidade. Guardar o sagrado é um respeito aos nossos antepassados, é um modo de sobrevivência e distanciamento dos enganadores, falsos profetas e oportunistas.

    Na invasão das terras brasileiras os cristãos fizeram a mesma coisa, impuseram seu cristianismo a todo custo aos índio e negros. Não pedem permissão em nome de um Deus. Continuam impondo até os dias atuais.

    PARABÉNS AOS NOSSOS ÍNDIOS! BOTA PRA CORRER!

  7. Muito bafafá, muito papo furado. A questão aqui são as famílias de índios cristãos da aldeia: Ficarão sem ter uma igreja onde celebrar sua fé (sua opinião, leitor, sobre tal fé é irrelevante), só porque o cacique e seus cupinchas não querem? Ué, é um cacique ou um Bozonaro? Esses índios prejudicados, são menos índios, menos donos?

  8. Que esse lei seja respeitada, que nossos parentes sejam RESPEITADOS EM SUA ESSÊNCIA, DIREITO a Ser e existir, pois se não fomos atentos surgirá uma nova inquisição, e não queremos que isso se repita!!!!

  9. Todo apoio ao povo Truká, que teve sua fé atacada e ainda teve que ter o trabalho de desmontar uma construção irregular nas próprias terras.

  10. Como a terra pertence ao povo indígena que vive naquele local, o mínimo que se esperaria era que os interessados em construir uma casa, prédio, igreja ou seja lá o que for no local, fossem consultar o cacique/líder local. Agora, em relação à ofensa de um sujeito que se diz pastor àqueles que não professam da mesma fé que a dele, só tenho a lamentar pela fala preconceituosa desse desinformado.

Deixe uma resposta para Zeildo Gabriel Cancelar resposta

Comentar
Seu nome