Eduardo quer PPS no seu palanque

0

Eduardo Campos investimentos

Ao mesmo tempo em que procura atrair o PPS para o seu palanque em 2014, o governador Eduardo Campos (PSB), virtual candidato a presidente da República, já tem montada uma agenda política para o próximo ano. O socialista vai comandar encontros regionais do partido no Recife, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Goiânia e Manaus, em mais uma maratona de atividades pelo país. Sobre a expectativa de uma aliança com os pós-comunistas, a decisão poderá sair hoje durante o congresso nacional da sigla, em São Paulo.

No encontro estadual realizado no Recife, no último sábado, o PPS não definiu o posicionamento de Pernambuco, mas o presidente nacional da legenda, deputado federal Roberto Freire (SP), assumiu publicamente que irá trabalhar para o PPS apoiar o nome de Eduardo Campos. Freire defende a formação de um bloco democrático de esquerda com o objetivo de derrotar o “lulapetismo” nas próximas eleições, “pois o PT levou a esquerda até ao enxovalhamento ao se envolver com a corrupção”, argumentou o parlamentar.

Ao comentar os encontros regionais da sigla, o secretário-geral do PSB nacional, Carlos Siqueira, disse que o formato das reuniões será definido durante este mês. “Nós escolhemos uma cidade de cada região, mas o foco não será a cidade e sim a região. O formato será o mesmo para todas. Obviamente que tem lugares com maior concentração de votos, mas não haverá distinção”, assegurou o socialista.

O objetivo dos encontros socialistas é de aprofundar o debate sobre as diretrizes que o PSB e a Rede definiram para fundamentar o programa de governo de Eduardo Campos, caso ele confirme sua candidatura à Presidência da República. Questionado sobre a construção de alianças, Siqueira frisou que esse é um processo que será desenvolvido durante o primeiro semestre de 2014. “A prioridade dos encontros é o programa de governo que terá o olhar voltado para cada estado”, pontuou.

Já no PPS, o debate sobre a resolução política do partido está previsto para acontecer hoje à tarde. Além de Eduardo Campos, o partido analisa a possibilidade de apoiar o senador Aécio Neves, presidenciável do PSDB, ou lançar candidatura própria com a ex-vereadora de São Paulo Soninha Francine.

Fonte: Diário de Pernambuco

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome