Familiares, Amigos, Correligionários, Aliados Políticos e até adversários, compareceram ao velório do deputado Sergio Guerra.

0

velorio sergio aecio velorio sergio alepe velorio sergio campos velorio sergio serra

Na última reunião da Executiva Nacional do PSDB, o deputado federal Sérgio Guerra, falecido nessa quinta-feira (6), defendeu que o senador mineiro Aécio Neves, pré-candidato da legenda à Presidência da República, precisava colocar o bloco da candidatura presidencial na rua. A última contribuição dele ao partido foi lembrada nesta sexta (7) pelo próprio Aécio, atual presidente nacional da sigla. “Infelizmente, nós vamos colocá-lo sem a presença de um de seus maiores inspiradores, que é o companheiro Sérgio Guerra”, disse, em tom saudoso, na saída do velório, que ocorre desde as 11h na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no Recife.

Guerra faleceu na manhã dessa quinta após 15 dias internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em decorrência da complicação de um câncer no pulmão, que teria se agravado em decorrência de uma pneumonia. O velório do deputado contou com a presença de algumas das principais lideranças do PSDB no País: o próprio Aécio; o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; o ex-Governador paulista José Serra; e o Senador Aloysio Nunes.

De Pernambuco, marcaram presença o Governador Eduardo Campos (PSB), o vice João Lyra (PSB) e o Secretário da Fazenda e candidato à sucessão estadual, Paulo Câmara. A principal ausência ficou por conta do ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso. A presidente Dilma Rousseff (PT) enviou o Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo (PCdoB) para representá-la.

Durante o velório, lideranças políticas destacaram as habilidades políticas de Guerra, que chegou a ser presidente nacional do PSDB. De acordo com o ex-Governador paulista José Serra, o deputado era um homem que não dissociava a política nacional da local. Para o Governador pernambucano Eduardo Campos, o tucano sabia dialogar tanto com os aliados, quanto com os adversários.

Desde 1981, Sérgio Guerra havia passado por quatro partidos: PMDB, PDT, PSB e PSDB. Quando faleceu, o deputado era presidente do Instituto Teotônio Vilela (ITV) e do partido em Pernambuco e vários correligionários também compareceram à Alepe para dar o último adeus. Guerra foi deputado federal entre 1995 e 2003. Nesse ano, ele assumiu o cargo de Senador, no qual permaneceu até 2011, ano em que retornou para a Câmara. Ele tentaria a reeleição neste ano.

Com informações e Fotos do Blog do Jamildo

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome