Gerência Regional de Saúde coordena campanha de prevenção ao Câncer do Colo do Útero

0

vacina contra hpv

A Coordenação Regional do Programa Nacional de Imunizações da V GERES – Gerência Regional de Saúde realizou recentemente uma reunião com os 21 municípios de sua área de abrangência, visando a implantação da vacina contra o Papilomavírus Humano (HPV). Esta campanha tem como objetivo a prevenção do câncer de colo de útero, principalmente entre as meninas adolescentes na faixa etária dos 11 anos até 13 anos. A vacina previne infecções pelos tipos virais mais comuns de câncer do colo do útero e, consequentemente, reduz a carga da doença.

A primeira dose da vacina HPV será administrada nas escolas públicas e privadas a partir do dia 10 de março e é muito importante que haja ampla e prévia divulgação na comunidade escolar, especialmente entre adolescentes, pais ou responsáveis e professores. Destaca-se que a vacinação em escolas é decisiva para o alcance da meta vacinal das adolescentes.

Antecipando a campanha, a V GERES está solicitando aos meios de comunicação que informem à população as formas de prevenção mais comuns do Câncer do Colo do Útero, levando a mensagem a mais pessoas, e salvando mais vidas, com a prevenção ou o diagnóstico prévio, melhorando a eficácia dos tratamentos.

Segundo o INCA – Instituto Nacional do Câncer, o câncer do colo do útero, também chamado de cervical, demora muitos anos para se desenvolver. As alterações das células que podem desencadear o câncer são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou), por isso é importante a sua realização periódica. A principal alteração que pode levar a esse tipo de câncer é a infecção pelo papilomavírus humano, o HPV, com alguns subtipos de alto risco e relacionados a tumores malignos.

É o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Prova de que o país avançou na sua capacidade de realizar diagnóstico precoce é que na década de 1990, 70% dos casos diagnosticados eram da doença invasiva. Ou seja: o estágio mais agressivo da doença. Atualmente 44% dos casos são de lesão precursora do câncer, chamada in situ. Esse tipo de lesão é localizada. Mulheres diagnosticadas precocemente, se tratadas adequadamente, têm praticamente 100% de chance de cura.

V GERES

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome