Integração Nacional estima R$ 33 milhões para fomentar a produção de mandioca no Brasil

0

mandioca-2

Brasília-DF, 26/11/2013 – Interessada no fortalecimento da mandiocultura no país, a Secretaria de Desenvolvimento Regional, do Ministério da Integração Nacional (SDR-MI), programa mais R$ 33 milhões para estruturar a cadeia produtiva de mandioca em 2014.

Com destaque para o Projeto Reniva (Rede de Multiplicação e Transferência de Materiais Propagativos de Mandioca com Qualidade Genética e Fitossanitária), o repasse deve ser feito por meio de acordos de cooperação e convênios firmados com estados e órgãos federais. A primeira região a receber os recursos será a Nordeste, onde a produção de mandioca é bastante difundida.

Parte do programa Rotas da Integração Nacional, o Reniva pretende promover o fortalecimento da cadeia produtiva disponibilizando aos produtores materiais propagativos indexados e comprovadamente livres de patógenos. Assim, o agricultor familiar tem condições de ampliar a sua área de plantio e aumentar a produtividade. Só em 2013, foram aportados mais de R$ 22 milhões para financiar ações do setor. Mais de oito mil e quinhentas famílias de diversas regiões do país foram beneficiadas pelo projeto.

Além de estruturar e fortalecer a cadeia produtiva, o Reniva também é um importante apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs) associados à mandiocultura. “O projeto visa à ampliação das áreas de plantio, além de capacitar profissionais e construir uma rede de multiplicação e distribuição de mudas selecionadas, de qualidade e com valor comercial”, explica Joaquim Carneiro, gestor do projeto no ministério.

Segundo ele, os recursos aportados devem atender a uma extensa demanda de estruturação da cadeia produtiva da mandioca. “A mandiocultura é bem difundida no Brasil. São quase dois milhões de hectares plantados, uma produção de mais de 25 milhões de toneladas. Ainda temos muitas regiões com potencial. Mas é preciso investir, principalmente no subsistema de processamento, onde o setor se encontra muito atrasado quando comparado a países do mesmo nível de produção”, afirma o gestor.

Casos de sucesso

O Projeto Reniva prevê a mobilização, o cadastramento, a seleção e o acompanhamento de agricultores familiares, bem como a implantação de 68 unidades de multiplicação de manivas. Cada uma com um hectare para a produção de mudas de mandioca em larga escala, que subsidiará a implantação de 2.040 unidades de produção, de 0,25 hectare cada, com o objetivo de garantir a segurança alimentar.

A recente participação da Secretaria de Desenvolvimento Regional no XV Congresso Brasileiro de Mandioca, em Salvador, em 21 de outubro de 2013, gerou boas expectativas tanto para os agricultores, quanto para os gestores do projeto. “Tivemos a oportunidade de ver de perto quais são os resultados e perspectivas dos produtores beneficiados pelo Reniva. São perceptíveis as mudanças que os investimentos têm gerado em cada região do país”, revela Joaquim.

Ele conta que dois depoimentos chamaram muita atenção durante o evento. As representantes da Associação dos Produtores Rurais de Itapauna do município de Taquarana (AL), lza Santos e Marilene Silva, aumentaram a produção de biscoitos de fécula de mandioca e se tornaram fornecedoras dos Programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) do governo federal.

“É incrível como a capacitação e o incentivo ampliaram o poder de atuação das agricultoras. Hoje, elas atendem não só sua região de origem, mas todo o estado. Assim como aconteceu com Iza e Marilene, esperamos beneficiar muitas outras famílias no país, e tornar o Brasil um dos grandes exportadores de mandioca”, completa Joaquim.

Além do Projeto Reniva, o Ministério da Integração Nacional também promove a implantação de unidades de beneficiamento,processamento, aquisição de equipamentos e patrulhas agrícolas para a estruturação de Arranjos Produtivos (APLs).

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome