No anuncio oficial da chapa da Frente Popular de Pernambuco os discursos estavam afinados

0

cc

O vice-governador João Lyra, apontado por analistas políticos como óbice nas negociações para a formação da chapa majoritária dos socialistas, afirmou com exclusividade ao Blog de Jamildo, ainda há pouco, que está animado em assumir o governo do Estado e realizar as entregas de obras, no período de nove meses que ficará no comando do governo do Estado, após a saída de Eduardo Campos.

“[A chapa] foi uma decisão do governador Eduardo Campos , que com certeza já unificou toda a Frente Popular”, disse o vice-governador, que negou ter ficado insatisfeito por não ter sido escolhido candidato. “Eu disse sempre que nunca tinha sido pré-candidato, eu nunca tinha colocado a minha candidatura”, afirmou.

No evento, João Lyra foi exaltado por todos, como manda o figurino no massageamento de egos. O governador lembrou que o aliado de sete anos nunca faltou quando foi preciso. Já o escolhido, Paulo Câmara, disse que todos confiam no vice-governador.

A principal defesa partiu do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, que segundo os bastidores possuía um pacto com Lyra pela indicação, mas aceitou disputar o Senado, para quem o vice possui uma “trajetória irretocável”. “Evidente que todos nós tínhamos os nossos sonhos e os nossos projetos”, lembrou FBC, antes de afirmar que a Frente Popular se sobrepõe aos interesses pessoais.

O vice-governador não discursou no evento e deixou o local evitando falar com a imprensa. Apesar dos boatos de que ele poderia renunciar, Lyra garantiu que irá concluir o mandato que herdará a partir do dia 5 de abril. “Tenho a preocupação agora, a partir de 5 de abril, de assumir o governo, concluir o mandato de Eduardo Campos e ir pra campanha da Frente Popular. E com certeza vamos ganhar a eleição”, assegurou.

Com informações do repórter Paulo Veras e a foto de Clemilson Campos, do JC Imagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome