PF investiga aliciamento de adolescente para jogar futebol no Oriente Médio

0

1396982132_default

Um garoto de 17 anos saiu de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, depois de receber um convite de um olheiro para jogar pelo time do Qatar, um país do Oriente Médio, por R$ 15 mil. No último sábado, a família descobriu que Adriano Lopes Pereira da Silva estava em Istambul, capital da Turquia, e foi, provavelmente, vítima de uma quadrilha especializada em contrabandear jogadores. A polícia também acredita que possa haver relação com o tráfico de órgãos.

Para driblar a mãe dele, o olheiro apresentou uma documentação falsa que dizia que o menino iria jogar no Sport Clube do Recife. O garoto foi à capital pernambucana e passou alguns dias na casa de um professor de história,  que não suspeitava que ele viajaria para outro país. Durante alguns dias, Adriano comprou roupas, fez exames médicos e, na última sexta (4), pediu R$ 50 dizendo que iria para o clube rubro-negro.

No sábado (5), ele ligou para o professor e para a mãe e revelou que estava a caminho do Qatar. No mesmo dia, entrou em contato mais duas veses, chorando, e disse estar em uma mata em um aeroporto clandestino. Nessa segunda (7), em novo contato, Adriano disse estar em Istambul. A Polícia Federal (PF) deve entrar em contato com a Interpol para eles tentarem encontrar o adolescente.

A direção jurídica do Sport informou que desconhece o olheiro que entrou em contato com o adolescente, não tendo nenhuma participação com a saída dele de Arcoverde. A direção aponta dois pontos que identificam a fraude: no contrato, o nome do clube está escrito errado e o documento também cita uma empresa de acessórios esportivos que, segundo o Sport, nunca participou da negociação de jogadores. Foi informado ainda que todos os contratos são firmados apenas no clube, diretamente com o gerente da base. A mãe do adolescente já está no Recife e deve ser ouvida ainda esta semana pelos policiais federais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome