Tricotilomania: Um problema visível e que poucos tem conhecimento

0



É o ato de puxar constantemente os próprios cabelos por prazer, gratificação ou alívio de tensão, acarretando uma perda capilar perceptível. A tricotilomania é caracterizada como um Transtorno do Controle do Impulso e  trata-se de uma doença psiquiátrica.
A pessoa que pratica esse ato refere (relata) uma sensação de tensão crescente imediatamente antes de arrancar os cabelos ou quando tenta resistir a esse comportamento.
A tricotilomania não se restringe a arrancar cabelos da cabeça, também é relatado o comportamento de arrancar sobrancelhas, cílios, pelo do abdômen e regiões púbicas.
Esse distúrbio causa sofrimento significativo com prejuízo no funcionamento social onde as pessoas passam a ter vergonha de se expor devido às falhas de cabelos ou ocupacional onde deixam de trabalhar devido ao aspecto impactante que passam a ter.

Sofrimentos orgânicos também são identificados, onde o ato de arrancar cabelos pode vir juntamente com o comportamento de passar os fios nos dentes ocasionando erosão dental, ou ainda, o ato de engolir os fios arrancados pode causar sérios danos no trato digestivo, necessitando acompanhamento médico e /ou intervenção cirúrgica.

As pessoas que sofrem desse distúrbio necessitam de tratamento especializado, para que possam controlar esse impulso. Por vezes é necessário tratamento psicológico e psiquiátrico através de terapia e medicação.

Esse distúrbio é mais frequente em mulheres do que em homens e a ciência ainda não descobriu uma resposta específica para isso. Só é possível afirmar que as mulheres procuram mais o tratamento.

A idade mais comum para o aparecimento da tricotilomania é por volta dos 13 anos quando ocorre a menarca (1ª menstruação).

Alguns fatores podem ajudar a desencadear o distúrbio como:

Mudança de escola;

Separação dos pais;

Isolamento de amigos;

Traumas;
Diante da ansiedade e da dificuldade em expressar os sentimentos algumas pessoas realizam atos para diminuir a tensão e a tricotilomania pode ser um desses;

Também colabora para o surgimento do distúrbio a presença de parentes com esse problema ou momentos de depressão que a pessoa esteja vivendo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome