Governo da Bahia diz que greve da PM deve ser encerrada ainda hoje
Governo da Bahia diz que greve da PM deve ser encerrada ainda hoje

Governo da Bahia diz que greve da PM deve ser encerrada ainda hoje

7 de Fevereiro de 2012

Após oito de dias de caos e insegurança nas ruas da capital baiana e da região metropolitana de Salvador, a greve da Polícia Militar da Bahia pode chegar ao fim ainda nesta terça-feira. A informação foi dada pelo governador Jaques Wagner em entrevista à TV Bahia no início da tarde. O governo do estado está otimista depois de apresentar propostas ‘consistentes’ em uma nova rodada de negociações para que haja uma solução ao impasse.

“Meu esforço está sendo muito grande, com propostas consistentes para que a gente possa terminar esse movimento ainda hoje”, disse ao noticiário local.

A primeira rodada de negociação foi inciada na segunda-feira às 16h e terminou somente às 2h da madrugada desta terça-feira. O porta-voz da arquidiocese, padre Manoel Ribeiro, explicou que o propósito da rodada que começou hoje é conhecer a posição das associações com relação à contraproposta feita pelo governo baiano. O padre, no entanto, não revelou detalhes sobre essa proposta em encontro na residência episcopal. A reunião é intermediada pelo arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, que desde segunda colabora com o diálogo entre grevistas e governo.

Participam do encontro na tarde de hoje o secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa; o secretário de Administração do estado, Manoel Vitório; o comandante-geral da PM, coronel Valter Medeiros; o procurador-geral do estado, Rui Moraes; e representantes das associações, com exceção da Associação dos Policiais, Bombeiros e Damiliares (Aspra), que encabeça a ocupação no prédio da Assembleia Legislativa.

Os manifestantes, no entanto, resistem em aceitar a proposta de reajuste salarial de 6,5% em 2012, retroativo a janeiro, para os policiais militares, “como prova de que está disposto a negociar as reivindicações econômicas da categoria”. Mas, à TV Globo, o presidente da Associação de Policiais, Bombeiros e de seus familiares (Aspra), o soldado Marco Prisco, reclamou da oferta:

“6,5% não é proposta”, disse Prisco, um dos 11 grevistas que estão com mandados de prisão expedidos pela Justiça.

Além do reajuste, o movimento negocia a anistia ao grevistas, ponto de impasse na negociação. Mais cedo, em entrevista à Rádio CBN, Jaques Wagner afirmou que este não é o caso na situação:

Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

FACESF POS GRADUACAO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *